Tradicional na culinária japonesa, sashimi caiu no gosto dos brasileiros

COMPARTILHAR
Tradicional na culinária japonesa, sashimi caiu no gosto dos brasileiros

O sashimi é um dos pratos mais populares da culinária do Japão. A iguaria conta com ingredientes: a carne de peixe e os frutos do mar, que precisam estar bem fresquinhos para serem fatiados. Normalmente, a receita é feita com molho shoyu, wasabi e gengibre ralado ou ponzu.

Além disso, o sashimi pode servir para acompanhar outras receitas, como o shiso, perilla e a raiz de daikon, parecido a um rabanete asiático. No entanto, é possível servir inicialmente o sashimi, individualmente.

O intuito é que o paladar ligado a peça não tenha qualquer tipo de influência dos outros gostos presentes na mesa. Esse sabor é recheado de simbologia na cultura nipônica, já que indica cuidado e suavidade.

Vale salientar que o sashimi também pode ser o elemento principal em uma refeição, sendo complementado com arroz e missoshiro, que é uma espécie de sopa de missô. É importante salientar que precisa se servir cada um dos itens de maneira separada.

Além disso, o sashimi mais comum é feito com carne de atum, salmão e peixe branco. Entre as alternativas na gastronomia do Japão, esse prato forma uma refeição saborosa, muito leve e de fácil digestão.

Popularidade do sashimi no Brasil

Como é frequente no Brasil, muitos elementos da cultura asiática foram abrasileirados. Por exemplo, a palavra sashimi pode ter a ver com qualquer tipo de refeição crua. Sendo assim, há sashimis vegetarianos, carne vermelha crua ou ainda com pasta de wasabi e mesclada no shoyu.

As receitas mais convencionais acabam por barrar essas experiências, já que até mesmo o gosto mais forte do wasabi acaba sendo alterado. O acréscimo do wasabi, inclusive, conta com uma enorme relevância para a cozinha japonesa.

Além de conceder um gostinho picante para refeição, a erva é essencial para que o prato possa estar livre de qualquer de agente nocivo antes que a carne seja consumida pelas pessoas. Ou seja, é uma maneira de conservar a carne.

Vale lembrar que a culinária japonesa preza pelo visual. Por isso, o uso do atum não é tão comum, porque tem uma carne delicada e tende a escurecer em pouco tempo durante o processo de congelamento.

Sendo assim, as misturas e adaptações de um prato tão tradição são, normalmente, deixadas de lado pelos japonesas, mas encontram espaço no Brasil.

COMPARTILHAR